Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
Descolonizando o Turbante na Cultura Afro-Brasileira: uma proposta de intervenção
Gilmara de Souza de Brito, Marcos Antônio Bessa-Oliveira

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


Este artigo tem por objetivo apresentar a realização do projeto de intervenção intitulado “Palestra-Oficina – (des)Colonizando o Turbante na Cultura Afro-Brasileira” que ocorreu em fevereiro de 2019 para alunos do curso de Artes Cênicas – Licenciatura da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/UEMS. A proposta de intervenção no âmbito educacional faz parte da determinação do Projeto Pedagógico do Programa de Mestrado Profissional em Educação – PROFEDUC/UEMS/UUCG, no qual autora e coautor do texto foram, respectivamente, mestranda e orientador. A proposta se baseou em uma palestra-oficina, em que a proponente a partir de epistemologias outras, descoloniais, levantou discussões a cerca da ressignificação do turbante dentro da cultura afro-brasileira, transpondo o local de exclusão que este elemento cultural de forte representação da ancestralidade negra acabou herdando com o processo de colonização em nosso território. Aqui serão apresentados os resultados da atividade, além de ser uma fonte de pesquisa e base para que outros projetos possam seguir com o mesmo objetivo de transposição do eurocentrismo presente em nossa sociedade, principalmente no âmbito educacional.


Palavras-chave


Cultura Afro-Brasileira; Descolonização; Pós-Colonialismo; Turbante.

Referências


BESSA-OLIVEIRA. Marcos Antônio. “Biogeografias Como Episteme Local: Fronteiras Platinas (Brasil/Paraguai/Bolívia)”. In: Bessa-Oliveira, Marcos Antônio. NOLASCO, Edgar César; GUERRA, Vânia Maria Lescano; S. FREIRE, Zélia R. Nolasco dos, Fronteiras Platinas em Mato Grosso do Sul – (Brasil/Paraguai/Bolívia) biogeografias na arte, crítica biográfica fronteiriça, discurso indígena e literaturas de fronteira. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017 – P. 29-63.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < HTTP://www.planalto.gov.br> Acesso em: 05 nov. 2017.

 

________. Lei Nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Disponível em: < HTTP://www.planalto.gov.br> Acesso em: 08 mar. 2018.

 

MIGNOLO, Walter D. Histórias locais / Projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Trad. Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. (Humanitas).

 

OLLEBAR. Sá. Como amarrar turbante rápido e fácil – VEDA. Youtube. 2016. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=D6SAOk8Ba8U> Acesso em: 17 out. 2020.

 

___________.Como fazer turbante, quais tecidos, medidas e onde comprar - Preta Pariu. Youtube. 2017. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8QVNAu8-hbo> Acesso em: 17 out. 2020.

 

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del Poder y Clasificacion Social.In: Journal of world-systems research, vi, 2, summer/fall 2000, 342-386 Special Issue: Festchrift for Immanuel Wallerstein – Part I.

 

_________. Colonialidade do poder, globalização e democracia. Revista Novos Rumos, v. 17, n° 37, p. 4-25, maio. /ago. 2002.


Texto completo: PDF