Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
Colonização do Estado de Rondônia e os povos indígenas: Elaborando formas de Re-existir na Amazônia
Vanubia Sampaio Santos

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


Este artigo constitui parte de uma pesquisa de doutorado em andamento no âmbito do Programa de Pós-Graduação da UEM/Maringá-PR. Este manuscrito busca evidenciar como ocorreu o processo de colonização e ocupação da região de Rondônia e seus impactos sobre as populações indígenas e seu modo de vida, com destaque as etnias Arara e Gavião da Terra indígena Igarapé Lourdes no município de Ji-Paraná, região central do Estado.  Refere-se a uma pesquisa bibliográfica e documental com base em pesquisas acadêmicas e relatórios etnológicos de pesquisadores e antropólogos: Mindlin, 1983; Junqueira, 1983; Silva, 1984), Perdigão; Bassegio (1992), Teixeira e Fonseca (2001), Neves (2009) e Santos (2014). As frentes de expansão avançaram floresta adentro e sobre os territórios indígenas, sem nenhum controle público, o que resultou em conflitos generalizados entre os próprios colonizadores, e estes com as populações indígenas. O que ainda restam na região de Rondônia é resultado de um longo período de relações de poder, exploração, conflitos e aniquilação de povos. No entanto, os indígenas tiveram que em se mobilizar, não só resistiram, mas elaboraram formas de re-existir.

 


Palavras-chave


: Colonização; Rondônia; Povos indígenas; Re-existência.

Referências


ACHINTE, A. A. Artistas indígenas y afrocolombianos: entre las memorias y las cosmovisiones. Estéticas de la re-existencia. In: PALERMO, Zulma (Ed.). Arte y estetica en la encrucijada descolonial. Buenos Aires: Ediciones del Signo, 2009, p. 83-112.

 

BRASIL. IBGE. Censo 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/estadosat > . Acesso em 23 de agosto de 2020.

 

FONSECA, Dante R.; TEIXEIRA, Marco A. D. História regional (Rondônia). 2.ed. Porto Velho: Rondoniana, 2001.

 

MINDLIN, Betty & JUNQUEIRA, Carmem. Avaliação do Parque Indígena do Aripuanã. São Paulo: FIPE/USP, datilo. 1983.

 

MEIRELES, D. M. Populações indígenas e a ocupação histórica de Rondônia. Cuiabá. 1983. 223 f. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, 1983.

 

MIGNOLO, Walter. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Tradução de Júlio César Casarin Barroso Silva. Buenos Aires: CLACSO, 2009, p. 71-103.

 

NEVES, Josélia G. Cultura escrita em contexto indígena. 2009. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Araraquara. Araraquara– SP, 2009.

 

OLIVEIRA, Ovídio A. História de desenvolvimento e colonização do Estado de Rondônia. 1 ed. Porto Velho: Geográfica, 2001.

 

PERDIGÃO, F; BASSEGIO, L. Migrantes Amazônicos- Rondônia: trajetória da ilusão. São Paulo: Loyola, 1992.

 

SOUZA, Murilo M; PESSÔA, Vera L. S. A contra- reforma agrária em Rondônia:colonização agrícola, expropriação e violência. Anais do V encontro de grupo de pesquisa.  Disponível em<http://w3.ufsm.br/gpet/engrup/vengrup/anais/1/Murilo%20Mendonca_NEAT-UFU.pdf> Acesso em: 26 de Julho. 2020.

 

SILVA, Amizael. G. da. No rastro dos pioneiros: um pouco da história rondoniana. Porto Velho: SEDUC, 1984.

 

SANTOS, V. S. dos. Expressões Identitárias no Espaço Escolar: um estudo com estudantes indígenas de escolas públicas urbanas de Ji-Paraná, Rondônia. Dissertação de Mestrado. UFMT, Cuiabá – MT. 2014.


Texto completo: PDF