Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
Teorização a partir da América Latina: (des)britanizando a criticidade acadêmico-contemporânea
Fábio do Vale, Edgar Cézar Nolasco

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


O presente trabalho proposita discutir e disseminar os passos epistemológicos para se teorizar a partir e sobre a América Latina buscando o desvencilhar epistêmico eurocêntrico partindo de conceptualizações amodernas, ou seja, não cartesianas, não tradicionais. Nesse ínterim concatenamos os referidos autores e críticos literários subsequentes para esse diálogo científico-epistemológico: Marcos Antônio Bessa-Oliveira, Enrique Dussel, Walter Mignolo, Edgar Cézar Nolasco e Aníbal Quijano cuja verve crítico-cultural resvala pelos corredores descoloniais da crítica biográfica fronteiriça. Ainda em criticidade acadêmica, também abordaremos – epistemologicamente – as disposições para a caracterização da nossa latinidade tão requerida para vislumbramos nossas faces identitárias na América Latina. Para este recorte dialogal, proporemos uma discussão acerca das bases periféricas, ou seja, amoderna, possibilitando que a nossa enunciação (des)pense as teorizações impostas na no espaço (lócus) latino-americano contemplando por entre as especificidades acadêmicas, sensibilidades outras, logo, com uma visada pós-colonial em trânsito para a criticidade descolonial. Por esses vieses prostraremos nossa apreciação crítica para – através do pensamos amoderno – ritmarmos o constructo acadêmico para valorar a nossa cultural latino-americano, assim e por isso mesmo, nossa latinidade (des)britanizando a academia valorando a nosso biolócus fronteiriço-enunciativo.

Palavras-chave


Latinidade; Crítica biográfica fronteiriça; (des)britanizar; pensamento amoderno.

Referências


BESSA-OLIVEIRA, M. A. O corpo das artes (cênicas) latinas ainda é razão e emoção! In: Simpósio Reflexões Cênicas Contemporâneas, 2019, Campinas, SP. Anais do Simpósio Reflexões Cênicas Contemporâneas. Campinas, SP: Publicação Eletrônica, 2019. v. 4. p. 1-13. (Obra completa)

 

DUSSEL, E. Transmodernidade e Interculturalidade (Interpretação desde a Filosofia da Libertação). In: FORNET-BETANCOURT, R. (Orgs.). Interculturalidade: críticas, diálogo e perspectivas. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2004. p. 159-208. (Obra completa)

 

MIGNOLO, W. “Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política”.  In: Cadernos de Letras: U n i v e r s i d a d e F e d e r a l Fluminense - Instituto de Letras. Dossiê: Literatura, língua e identidade. N. 34, Niterói, RJ.  2008, p. 287-324. (Obra completa)

 

NOLASCO, Edgar Cézar. Crítica biográfica fronteiriça (Brasil\Paraguai\Bolívia). In: CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS: Brasil\Paraguai\Bolívia. Campo Grande-MS: Editora UFMS, v.7, n.14, jul.\dez. 2015. P. 47-63. (Obra completa)

 

NOLASCO, Edgar Cézar. Descolonizando a pesquisa acadêmica: uma teorização sem disciplinas. Acervo do autor. 2018, texto no prelo, p. 1-22.

 

QUIJANO, A (a). Colonialidade do Poder, Eurocentrismo e América. In: LANDER, E.(Org). A Colonialidade do Saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales-CLACSO, 2005. (Obra completa)


Texto completo: PDF