Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
“Mode a gente arrecordar”: as mediações, culturas de massas e a mídia sonora no dito “interior” no início do século XX
Victória Tupini Pereira

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


A presente pesquisa tem por objetivo a análise histórica do acervo fonográfico salvaguardado pela Casa de Cultura Villa Maria, da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, em especial o Fundo Amador Pinheiro da Silva de discos de acetato 78 rpm, que compôs parte do broadcast da Rádio Cultura de Campos (PRF-7), emissora inaugurada em novembro de 1934, em consonância a educação patrimonial ético-política, com o propósito de construção inter-subjetiva da produção do conhecimento e a análise de uma circularidade musical e paisagem sonora o início do século XX.


Palavras-chave


Acervo Fonográfico; circularidade musical; estética musical; paisagem sonora

Referências


Acervo Documental Sonoro/ Fonoteca da Casa de Cultura Villa Maria/CCVM da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Acesso de abril de 2017 a março de 2018. Campos dos Goytacazes/RJ.

CALABRE, Lia. A Era do Rádio. 2.Ed. Rio de Janeiro. Jorge Zahar Ed., 2004.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios as mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro, UFRJ, 1997.

MIGNOLO. Walter. Aesthesis Decolonial. In: Arte y estética en la encrucijada descolonial II. Org. Pedro Pablo Gomez. 1ª ed. Buenos Aires. 2014.

MENESES. Ulpiano T. Bezerra. Memória e cultura material: documentos pessoais no espaço público. CPDOC/FGV-IEB/USP – São Paulo, 1997.

PALMASE, CARLES, ALCÁZAR. Um acercamiento pedagógico al paisaje sonoro: escucha, recreación, creación. IN: Paisajes Sonoros de Cuenca, UCLM. P.: 14-17, 2010.

RANGEL JR., Vicente Marins. 1992. Recortes da Memória Musical de Campos (1839-1965). Itaperuna: Damará.

SILVA. Marcos Virgílio. “Debaixo do pogréssio”: urbanização, cultura e experiência popular em João Rubinato e outros sambistas paulistas (1951-1969). – São Paulo, 2011. 287 p.: il.

TEIXEIRA. Simonne. Um olhar sobre o papel do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural/INEPAC na construção da identidade do estado do Rio de Janeiro. IV Simpósio Nacional de História Cultural. Goiás, 2008.

TOLENTINO. Átila Bezerra. Educação patrimonial decolonial: perspectivas e entraves nas práticas de patrimonialização federal. Sillogés – v.1, 2018.


Texto completo: PDF