Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
Desaprender/despensar para, enfim, re-aprender-com Silviano Santiago
Pedro Henrique Alves de Medeiros, Edgar Cézar Nolasco

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


Este trabalho tem por objetivo discutir os conceitos de não-modernos (MIGNOLO, 2017) e epistemicídio (MENESES; SANTOS, 2010) à luz da crítica biográfica fronteiriça e na esteira do ensaio intitulado “A literatura brasileira à luz do pós-colonialismo” (2014) do escritor e crítico latino-brasileiro homossexual Silviano Santiago. Para tal, valeremo-nos, dentre outros, dos intelectuais Boaventura de Sousa Santos, Maria Paula Meneses e Walter Mignolo no intento de fundamentarmos um pensamento outro, de cunho fronteiriço-pós-abissal, projetado a partir das bordas das exterioridades e entremeado pela premissa de um desaprender/despensar (SANTOS, 2019) ou aprender a desaprender (MIGNOLO, 2008) para, então, re-aprender-com (SANTOS, 2019) nosso divíduo e aliado hospitaleiro (PESSANHA, 2018) Silviano. Portanto, atravessados pela perspectiva de uma autorreflexidade (SANTOS, 2019) corroborada, sobremaneira, pelo intelectual citado, incidiremos sobre nossas próprias trajetórias pessoais a possibilidade de questionarmos aquilo que aprendemos ou, como explicita Boaventura de Sousa Santos (2019), muito do que aprendemos sobre como aprender, em especial, enquanto não-modernos, latinos, brasileiros e homossexuais fronteiriços.


Palavras-chave


Crítica biográfica fronteiriça; Silviano Santiago; Epistemicídio; Não-modernos.

Referências


MENESES, M. P.; SANTOS, B. de S. Introdução. In: SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. (org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 15-27. (Capítulo de Livro)

MIGNOLO, W. Desafios decoloniais hoje. 2017. Disponível em: https://revistas.unila.edu.br/epistemologiasdosul/article/download/772/645. Acesso: 01 out. 2020. (Artigo em Periódico Digital)

MIGNOLO, W. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. 2008. Disponível em: http://professor.ufop.br/sites/default/files/tatiana/files/desobediencia_epistemica_mignolo.pdf. Acesso em: 01 out. 2020. (Artigo em Periódico Digital)

PESSANHA, J. G. Recusa do não-lugar. São Paulo: Ubu Editora, 2018. (Obra Completa)

SANTOS, B. de S. Descolonizar el saber, reinventar el poder. Montivideo: Ediciones Trilce, 2010. (Obra Completa)

SANTOS, B. de S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. (org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 31-83. (Capítulo de Livro)

SANTOS, B. de S. O fim do império cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019. (Obra Completa)

SANTIAGO, S. A literatura brasileira à luz do pós-colonialismo. 2014. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2014/09/1511606-a-literatura-brasileira-a-luz-do-pos-colonialismo.shtml. Acesso: 01 out. 2020. (Artigo em Jornal Digital)


Texto completo: PDF