Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
PELA LÍNGUA DISSIDENTE E POR CORPOS DANÇANTES: RESISTÊNCIAS DE(S)COLONIAS DO QUILOMBO DOS CARRAPATOS
Vanessa Nogueira Paiva

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


O seguinte trabalho visa apresentar um breve estudo acerca do encontro da cultura africana (principalmente banto) com a brasileira e a influência da expressividade, corporalidade e a língua do Quilombo dos Carrapatos da cidade de Bom Despacho – MG. Assim, com o objetivo de traçar uma relação entre de(s)colonidade e o processo de resistência cultural da comunidade por aproximandamente 304 anos em meio a escravizadão e subaltenização. Será discorrido como a lingua e as festas regionais (principalmente o congado) se tornaram meios de efetivação de resistências dessas existências. A partir desse ponto, verficar-se-à como a língua tem uma influência direta no processo de identidade dessa comunidade e como a desobediência lingúistca deve ser enxergada como manifestação social que contraria os preconceitos concebidos pela população de Bom Despacho.


Palavras-chave


Congado, Língua da Tabatinga; De(s)colonidade; Quilombo; Minas Gerais

Referências


BRASILEIRO, J. Nas congadas, os corpos falam, descolonizam e coexistem religiosamente com suas danças rituais. Seminário Online Práticas Decoloniais em cena que ocorrerá em 13 de Outubro de 2020. (no Prelo)

QUEIROZ, S. A língua do negro da Costa: um remanescente africano em Bom Despacho (MG). Dissertação de mestrado. Belo Horizonte: FALE, UFMG, 1984.

_______________. Pé preto no barro branco. A língua dos negros da Tabatinga. Belo Horizonte, UFMG, 1998.

MBEMBE, A. Sair da grande noite: ensaio sobre a África descolonizada. Editora Vozes, 2019.

REZENDE, T. F.; SILVA, D. M. Desobediência linguística: por uma epistemologia liminar que rasure a normatividade da língua portuguesa. Revista Porto das Letras. Dossiê Sociolinguística Brasileira: os olhares do Sul na desestabilização nos modelos herdados. v. 4, n. 1, 2018, p.174-202.

SGOTI, S. de M. A Comunicação Comunitária dos Quilombolas Carrapatos da Tabatinga: o diálogo como práxis da comunicação interpessoal e grupal. São Bernardo do Campo, 2016, p.121. Dissertação (Mestrado em Comunicação Sociaç), Faculdade de Comunicação, Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, SP, 2016.

SOUZA, T. P. Permanências Africanas no Congado Brasileiro. Tese de Doutorado em Ciências Sociais). Unesp/Araraquara, 2018.


Texto completo: PDF