Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
O Censo Demográfico de 2021 e as Políticas Públicas para a Educação Escolar Quilombola
Márcio Henrique de Freitas Cavichiolli, Suely Dulce de Castilho

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


O IBGE pela primeira vez em sua história divulgará em um Censo Demográfico informações sobre as pessoas que se consideram quilombolas. Isso ocorrerá no Censo Demográfico de 2021. Considerando este fato e a necessidade que esses povos tradicionais têm de informações individualizadas para o campo da educação escolar quilombola, este trabalho procurou responder ao seguinte questionamento: o Censo Demográfico de 2021 será capaz de gerar informações para subsidiar políticas públicas educacionais para os quilombolas? Para responder a essa pergunta, o objetivo deste trabalho foi analisar todas as informações de domínio público, situadas no endereço eletrônico do Censo Demográfico e verificar as suas potencialidades para o ensino quilombola. A perspectiva teórica que fundamentou o trabalho foram as teorias pós-coloniais. O instrumento de coleta de dados foi a análise documental do questionário básico, questionário amostral e manual do recenseador, presentes nos endereços eletrônicos do IBGE. Após a análise, constatou-se que as informações produzidas pelo Censo Demográfico de 2021, poderão servir de subsídios para análises, formulações e implementações de políticas públicas direcionadas à educação desses povos tradicionais.


Palavras-chave


Educação Escolar Quilombola; Políticas Públicas; IBGE; Censo Demográfico de 2021.

Referências


BRASIL. MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana, Brasília, 2004.

BRASIL. MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola. Brasília, 2012.

CASTILHO, S. D. Quilombo Contemporâneo: educação, família e culturas. Cuiabá, EdUFMT, 2011.

CASTILHO, Suely Dulce; SANTANA, Gonçalina Eva Almeida de. Etnosaberes e formação de professores quilombolas: reflexão a partir do olhar de docentes. Expressa Extensão, 2018, v. 24, p. 40-54.

FANON, F. Pele negra, máscaras brancas. Portugal: Editora Paisagem, 1975.

IBGE. Censo Demográfico de 2020. Página institucional. Disponível em: https://censo2020.ibge.gov.br/ Acesso em: 20 dez.2019.

______. Manual do Recenseador 2020. Censo Experimental.

______. Metodologia do Censo Demográfico 2010. Relatórios Metodológicos, Rio de Janeiro,v.41,2013.Disponívelem:http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm. Acesso em: 15 jun. 2019.

______. Questionários Básico e Amostral 2020. Censo Experimental.

______.Síntese de Indicadores Sociais, 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101629.pdf Acesso em: 28 de set.2020.

______. Território e Tradição. Retratos: a revista do IBGE, Rio de Janeiro: IBGE, 2017, v.2, p. 18-25.

JANNUZZI, Paulo de Martino. A importância da informação estatística para as políticas sociais no Brasil: breve reflexão sobre a experiência do passado para considerar no presente. REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS DE POPULAÇÃO. REBEP, 2018, v. 35, p. 1-10.

MBEMBE, A. Crítica da razão negra. Tradução Marta Lança. Portugal: Editora Antígona, 2014.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, a fenomenologia, o marxismo., São Paulo: Atlas, 1987.


Texto completo: PDF