Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
Podemos fazer teori(a)zação da fronteira-sul?
Edgar Cézar Nolasco

Última alteração: 02-01-2021

Resumo


O ensaio propõe discutir acerca de uma teorização que se formula a partir do que o autor entende por fronteira-sul. Para desenvolver sua reflexão, o autor convoca a lógica e a retórica do ensaio moderno, visando pontuar que este, por sua vez, por mais que tenha se esmerado para atender ao sujeito fronteiriço, bem como a sua condição de exterioridade, não fez outra coisa senão reforçar sua inferioridade teórica e filosófica. A teorização, por sua vez, ao lembrar que tal sujeito pensa, logo faz teorização, e esta, a seu modo, pode dar a todos um entendimento maior e melhor do “outro” da exclusão.

 


Palavras-chave


Teorização; Crítica biográfica fronteiriça; Ensaio descolonial.

Referências


Referências

ANZALDÚA, G. Bordelands/La Frontera: the new mestiza. California: Aunt Lute, 1987.

 

BORGES, J. L. O Fazedor. Trad. de Josely Vianna Baptista. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

 

KUSCH, R. Pensamiento indígena y popular en América. Obras completas, v. II. Rosario: Fundación Ross, 2009. p. 263-264.

 

DABASHI, H. ¿pueden pensar lós no-europeos? In: GIULIANO, F. (comp.). ¿Podemos pensar los no-europeos? Ética decolonial y geopolíticas del conocer. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Del Signo, 2018. p. 69-120. (Capítulo de Livro).

 

GIULIANO, F. La pregunta que luego estamos si(gui)endo: manifestaciones de uma cuestión ética-geopolítica. In: ________. (comp.). ¿Podemos pensar los no-europeos? Ética decolonial y geopolíticas del conocer. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Del Signo, 2018. p. 11-68. (Capítulo de Livro)

 

MIGNOLO, W. PREFACIO. In: GIULIANO, Facundo (comp.). ¿Podemos pensar los no-europeos? Ética decolonial y geopolíticas del conocer. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Del Signo, 2018. p. 07- 09.

 

MIGNOLO, W. Sí, podemos. In: GIULIANO, F. (comp.). ¿Podemos pensar los no-europeos? Ética decolonial y geopolíticas del conocer. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Del Signo, 2018. p. 121- 159. (Capítulo de Livro).

 

MIGNOLO, W. Filosofia y diferencia epistémica colonial: ¿qué es lo convoca la praxis del pensar desobediente en la exterioridad de los universales eurocêntricos? In: GIULIANO, F. (comp.). ¿Podemos pensar los no-europeos? Ética decolonial y geopolíticas del conocer. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Del Signo, 2018. p. 203-229. (Capítulo de Livro).