Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, II Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
Cooperativa Açaí, Porto Velho-RO: Produção de biojoias e redes de sustentabilidade
Anelise Fabiana Paiva Schierholt

Última alteração: 07-05-2019

Resumo


Este estudo apresenta a proposta de pesquisa para o desenvolvimento da dissertação de mestrado. Os sujeitos com quem pesquisamos são mulheres e homens, artesãs (os) de biojoias, ecojoias e produtos em tecido como bolsas e bonecos. Para produção de biojoias e ecojoias são aproveitadas sementes e fibras originárias do bioma amazônico e para a confecção de bonecas utilizam tecidos produzidos com algodão agroecológico da Justa Trama. As sementes utilizadas pela cooperativa são coletadas ou colhidas em sítios dos próprios cooperados ou por populações ribeirinhas da região de Porto Velho. Esse processo se modificou após a construção da hidrelétrica Santo Antônio provocando a desterritorialização dos atores ribeirinhos, antes próximos da região urbana de Porto Velho. Estas mudanças provocaram uma reorganização das redes já constituídas pelas (os) cooperadas (os) gerando uma abertura para ações individuais desses atores. Esse deslocamento colocou a cooperativa frente a outras possibilidades de aquisição de sementes, que passa então a ser subsidiada e por demanda, estabelecendo assim um repertório de parcerias que são ativadas de maneira estratégica segundo as necessidades dos associados. A partir deste contexto, o projeto pretende analisar e discutir em que medida as redes de sustentabilidade estabelecidas pela Cooperativa Açaí tem produzido modificações nos processos de produção das peças e na estrutura organizacional, tanto da cooperativa quanto das (os) associadas (os). Para tanto, torna-se essencial enfatizar que a produção de biojoias, ecojoias e bonecas dessas (es) artesãs (os) está marcada pela preocupação com o meio ambiente diante de uma relação com a biodiversidade da região.


Palavras-chave


Biodiversidade; Biojoias; Cooperativa Açaí; Redes de sustentabilidade

Referências


ALVES, Elder P. Maia. As políticas de estímulo ao empreendedorismo cultural no Brasil: o Sebrae como um agente estatal de mercado. Políticas Culturais em Revista, Salvador, v. 9, n. 2, p. 626-650, jun./dez. 2016.

BECK, Ulrich. A reinvenção da política: rumo a uma teoria da modernização reflexiva. In: BECK, Ulrich; GIDDENS, Anthony; LASH, Scott. Modernização reflexiva; política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Ed. UNESP, 1997, 264 p. (p. 11-71).

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens; para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: EdUFRJ, 2006.

GRÜN, Mauro; PEIXER, Zilma Isabel; SIQUEIRA, Valdemar. Educação Ambiental: nos caminhos da cultura e novas sustentabilidades. GUERRA, Antonio Fernando Silveira; FIGUEIREDO, Maria Lúcia (orgs.). As Sustentabilidades em diálogos. 1 ed. Itajaí: Universidade do Vale do Itajaí, 2010, pg. 107-124.

JIMÉNEZ, María Evelinda Santiago. Sustentabilidad a dos tempos. Polis, Revista de la Universidad Bolivariana, v. 8, nº 24, 2009, p. 357-382.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos; ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução àTeoria do Ator-Rede. Salvador: EDUFBA, 2012;  Bauru, São Paulo, EDUSC, 2012.

LOPES, José Rogério; SCHIERHOLT, Anelise F. P. Produção de biojoias  no norte do  Brasil: análise dos impactos institucionais, ambientais e de mercado em redes de sustentabilidade locais. InterEspaço Grajaú/MA v. 4, n. 12 p. 155-173, jan. 2018

NERY, Maria Salete S. A decepção de Tinkerbell e a luta das classificações: o artesanato, o governo federal e o SEBRAE. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, RS, Vol. 50, nº 3, p. 293-302, set./dez. 2014.

SCHIERHOLT, Anelise F.P. Cooperativa Açaí, Porto Velho, RO: uma análise a partir das Trajetórias de seus associados. Trabalho de Conclusão de Curso. Ciências Sociais. São Leopoldo: UNISINOS, 2016a.

 

SCHIERHOLT, Anelise F. P. Relatório de visita. Município Porto Velho - Rondônia, 2016 (Inédito).

 

SIMMEL, Georg. O conceito e a tragédia da cultura. In: SOUZA, Jessé; Öelze, Berthold (orgs.) Simmel e a modernidade. 2.ed. Brasília: EdUNB, 2005, p. 77-106.

SPOONER, Brian. Tecelões e negociantes: a autenticidade de um tapete oriental. In: APPADURAI, Arjun (Org.). A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural. Niterói: EdUFF, 2008, p. 247-298.


Texto completo: PDF