Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, I Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Tamanho da fonte: 
Multiculturalismo e as Relações Hibridas na Educação
Shirlei Alexandra Fetter, Daniel Luciano Gevher

Última alteração: 26-12-2017

Resumo


Este estudo buscou ressaltar as concepções de hibridismo cultural. A discussão se expõe com fundamentos sobre como se caracteriza hibridismo cultural, interculturalismo e multiculturalismo, bem como sua representação na sociedade contemporânea. No decorrer, o texto centraliza à cultura ao analisar as práticas educativas desenvolvidas na contemporaneidade. Elas chamam a atenção para a ressignificação do currículo como espaço interativo sobre as identidades homogêneas. Nesse contexto, as discussões permeiam sobre as propostas curriculares sob uma abordagem hibrida. Destarte, entendemos que o mais importante ao se discutir a centralidade da cultura nas abordagens curriculares não é o intercultural ou multicultural, mas a concepção de que a cultura, conforme o modelo de hibridismo que apresenta a diversidade cultural que é a da multiculturalidade existente em diversos grupos culturais de uma mesma sociedade.


Palavras-chave


Culturas, Diálogos, Formação, Multicultura, Relações.

Referências


BOURDIEU, P. O poder simbólico. Tradução: de Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. 311 p.

 

CANCLINI, N. G. Culturas Híbridas. São Paulo: Edusp, 2013. 392 p.

 

CANDAU, V. M. (org.). Sociedade educação e culturas(S): questões e propostas. 3. Ed., Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2010. 288 p.

 

GOMES, M. A. de O; COLARES, M. L. I. S. A educação em tempos de neoliberalismo: dilemas e possibilidades. Acta Scientiarum. Education, Maringá, v. 34, n. 2, p. 281-290, Jul-Dez, 2012. ISSN: 2178-5198. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/3033/303325733014.pdf Acesso em: 16 de abr. 2017.

 

GONÇALVES, L. A; SILVA, P. B. G. O jogo das diferenças, o multiculturalismo e seus conceitos e seus contextos. Belo Horizonte: Autêntica 1998. 120 p.

 

GRAMSCI, A. Maquiavel, a política e o Estado moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978. 149 p.

 

MOREIRA, A. F. B; MACEDO, E. Currículo, identidade e diferença. In: MOREIRA, A. F. B., MACEDO, E. (Org.). Currículo, práticas pedagógicas e identidades. Porto, Portugal: Porto Editora, 2002. 15-39 p. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n79/10847.pdf. Acesso: 15 de abr. 2017.

 

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em Psicologia Social. Petrópolis: vozes, 2010. 404 p.

 

MOURA, M. Diversidade Cultural e Democracia: Breve Reflexão sobre os Desafios da Pluralidade. Textos e Contextos, Salvador, v 3, n 3, p. 29-38, Ago. 2005. ISSN 1673-2441. Disponível: https://issuu.com/flavia.gil/docs/preview-textos_contextos03. Acesso em: 16 abr. 2017.

 

NEGRI, S. de R. Um currículo democrático na contemporaneidade: desafios e possibilidades teóricas. Educação em Perspectiva, Viçosa, v. 1, n. 2, p. 274-292, jul./dez. 2010. ISSN 2178-8359. Disponível em: http://www.seer.ufv.br/seer/educacaoemperspectiva/index.php/ppgeufv/article/viewFile/151/39. Acesso em: 16 abr. 2017.

 

RAYNAUT, C. Pensar no mundo contemporâneo e inovar na produção do conhecimento. G&DR, Taubaté, v. 10, n. 3, p. 4-26, set. 2014. ISSN 1809-239X. Disponível em: http://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/view/1469/392. Acesso em: 16 abr. 2017.


Texto completo: PDF