Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Encontro Humanístico Multidisciplinar e II Congresso Latino-Americano de Estudos Humanísticos Multidisciplinares

Tamanho da fonte: 
O ensino de Química e atividades lúdicas: o que pensam os estudantes?
Thalles Pinto de Souza, Peterson Fernando Kepps da Silva

Última alteração: 16-01-2018

Resumo


O ensino de química pode estar agregado a atividades que conduzam à memorização de certas informações para provas e trabalhos avaliativos; o que além de limitar e desmotivar a aprendizagem promove, também, o distanciamento do ensino com o mundo cultural e tecnológico no qual estes sujeitos fazem parte. O uso de atividades lúdicas, como jogos educacionais, brincadeiras e paródias musicais pode contribuir na superação de problemas que envolvem o processo de ensino e aprendizagem. Neste contexto, o presente trabalho busca apresentar uma proposta de atividade lúdica no ensino de química, bem como discutir a percepção de estudantes de Ensino Médio sobre o ensino lúdico. Para a produção de dados, desenvolvemos um questionário com três perguntas, em 2017, sobre atividades lúdicas. Buscamos com as perguntas perceber qual a posição dos estudantes frente a este tipo de atividade. A análise deste trabalho foi feita por tabulação dos dados. Além disso, a análise permitiu-nos perceber que os alunos consideram relevante, se sentem motivados e participam de propostas que envolvem atividades lúdicas.


Palavras-chave


atividade lúdica, ensino de ciências, ensino de química, paródia.

Referências


ALMEIDA, P. Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. São Paulo: Loyola, 2000. 297 p.

 

CARDOSO, S. P.; COLINVAUX, D. Explorando a motivação para estudar química. Química Nova, v. 23, n. 3, p. 401-404, jun. 2000. ISSN 0100-4042. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/qn/v23n3/2827.pdf. Acesso em: 24 ago. 2017.

 

DOHME, V. A. Atividades lúdicas na educação: o caminho de tijolos amarelos do aprendizado. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. 182 p.

 

FERREIRA, M. Como usar a música na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2008. 240 p.

 

MEDEIROS, C. E. Uma proposta para o ensino de Química em busca da superação dos obstáculos epistemológicos. 2014. 157 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Faculdade de educação. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas. 2014.

 

SCHNETZER, R. P. A pesquisa no ensino de química e a importância da química nova na escola. Química Nova na Escola, v. 20, p. 49-54, nov. 2004. ISSN: 2175-2699. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc20/v20a09.pdf. Acesso em 19 ago. 2017.


Texto completo: PDF