Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, III Encontro Humanístico Multidisciplinar e II Congresso Latino-Americano de Estudos Humanísticos Multidisciplinares

Tamanho da fonte: 
LEITURA CRÍTICA COMO UMA EXPERIÊNCIA PARA ALÉM DO TEXTO: IMPLÍCITOS E INFERÊNCIAS COMO PRÁTICA DE LETRAMENTO E METACOGNIÇÃO NO PROCESSO EDUCACIONAL
Bruno Humberto da Silva, Celso Albuquerque Lima

Última alteração: 26-10-2017

Resumo


O trabalho perpassa primordialmente a visão de construção de sentidos na aquisição do conhecimento por meio do texto, e não meramente a obrigatoriedade do ensino normativo-prescritivo de língua, nem a doutrinação de gêneros textuais no processo educacional. Como caminho de sugestão para o ensino, frente à necessidade de reformulação das práticas pedagógicas de letramento, escolhemos trabalhar em slides por meio de uma crônica, de Rubem Braga, inicialmente a partir da abordagem ortodoxa e convencional. Por isso, em seguida, apresentamos dados atuais de proficiência da Prova Brasil, como reflexo do procedimento cristalizado no ensino de língua. Finalmente, sugerimos, com o mesmo texto, questões com práticas e experiências de letramento, o qual visa à construção de sentidos, em níveis de conhecimento de mundo, conhecimento textual e conhecimento linguístico, por meio de três níveis de leitura: sensorial, emocional e racional. A abordagem, portanto, dessa apresentação propõe caminhos para que o ensino de língua promova criatividade, criticidade e sensibilidade ao cidadão. Para isso, apontamos ao final do trabalho um experimento da aplicabilidade de teorias em turmas de ensino fundamental de segundo ciclo da Escola Municipal Ministro Alcides Carneiro, em Campo Grande, Rio de Janeiro; com resultados e considerações coletados dos alunos, como realização e proposição de práticas de letramento na construção de capacidades cognitivas, linguístico-discursivas e metacognitivas no ensino de língua materna, a partir dos implícitos e inferências.


Palavras-chave


Linguística; Texto; Metacognição.

Referências


ANDRADE, Carlos Drummond de. Uma prosa (inédita) com Carlos Drummond de Andrade. Caros Amigos. São Paulo, nº 29, p. 12-15, agosto, 1999.

ANTUNES, Irandé. Práticas pedagógicas para o desenvolvimento das competências em escrita: Ensino de produção textual. São Paulo: Contexto (2016): 9-21.

BAKHTIN, M. 1934-1935/1998. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. Trad.: Aurora Fornoni Bernadini et al. Unesp; Hucitec.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

CANDIDO, Antonio. A vida ao rés-do-chão. A crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1992.

INEP. Prova Brasil. Avaliação do Rendimento Escolar. 2013. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/prova_brasil_saeb/resultados/2013/caderno2013_v2016.pdf acesso em 03/06/2017.

KOCH, Ingedore & ELIAS, Vanda Maria. Ler e Compreender: os sentidos do texto. São Paulo. Editora: Contexto, 2006.

KLEIMAN, A. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 6. ed. Campinas: Pontes, 1999.

LEFFA, Vilson J. Fatores da compreensão na leitura. Disponível em: <http://www.leffa.pro.br/textos/trabalhos/fatores.pdf >. Aceso em: 03/06/2017.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. 19ª. ed. SP. Brasiliense, 2012.

MOLLICA, Maria Cecília. Fala, Letramento e Inclusão Social. São Paulo: Contexto, 2007.

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2017.

ROJO, Roxane. Letramentos Múltiplos, escola e inclusão social. 1. ed. São Paulo. Parábola Editorial, 2014.