Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, II Encontro Humanístico Multidisciplinar e I Congresso Latino-Americano de Estudos Humanísticos Multidisciplinares

Tamanho da fonte: 
Micropolíticas de formação do leitor a sala de leitura Érico Veríssimo
Cinara Tonello Postringer

##manager.scheduler.building##: Campus Jaguarão
##manager.scheduler.room##: Sala 311
Data: 12-11-2016 08:30 AM – 11:30 AM
Última alteração: 20-10-2016

Resumo


No trabalho apresentam-se resultados parciais da investigação que trata do impacto da Sala de Leitura Érico Veríssimo entre usuários. Estrutura acadêmica que integra ensino, pesquisa e extensão, tem como centralidade a proposição de micropolíticas de formação do leitor literário. Na investigação, o intuito foi observar se os usuários deste espaço o consideram imprescindível para sua formação docente. Tendo como referencial teórico as reflexões de Paiva (Políticas públicas de leitura literária), Paulino (Leitura Literária), Reyes (Mediação literária) e Rosa (Alfabetização Literária), para quem a formação do mediador literário é fundamental no o exercício da docência nas séries iniciais, a metodologia abasteceu-se nos princípios da pesquisa qualitativa (GÜNTHER, 2006). Observando a quantidade, variedade e qualidade das micropolíticas propostas, conclui-se que ela realmente é uma estrutura importante para a formação do estudante. Pelo público que agrega, acervos que disponibiliza e práticas de leitura que promove, comprovou-se que o foco de suas políticas é a formação do leitor literário. Entre as políticas desenvolvidas observou-se que uma, em especial, resultou na produção de um livro digital de autoria compartilhada. Este dado tornou-se um documento comprobatório da viabilidade da micropolítica, além de validar a os objetivos propostos.