Tupã - Sistema Online de Apoio a Eventos do CLAEC, II Encontro Humanístico Multidisciplinar e I Congresso Latino-Americano de Estudos Humanísticos Multidisciplinares

Tamanho da fonte: 
Lutas descoloniais no Haiti contemporâneo: o legado radical da universidade pública haitiana e seu movimento estudantil
Pamela Marconatto Marques

##manager.scheduler.building##: Campus Jaguarão
##manager.scheduler.room##: Sala 312
Data: 11-11-2016 08:00 AM – 11:30 AM
Última alteração: 20-10-2016

Resumo


Este trabalho aborda a Universidade de Estado do Haiti e sua história de luta, confronto e resistência que permanece profundamente desconhecida por seus vizinhos latino-americanos. Entendemos que esse desconhecimento não está restrito à Universidade haitiana, em particular, mas estende-se ao país, de forma geral, cuja compreensão mais complexa e densa vem sendo obstaculizada por uma cobertura midiática que geralmente é marcada pela exacerbação do exotismo, da pobreza ou da tragédia haitiana. Sucede que, desde o terremoto de janeiro de 2010, o Haiti vem sendo alvo de uma série de discursos etnocêntricos, empenhados em justificar práticas que só podem ser definidas como coloniais na medida em que se apresentam como caminho/instrumento de salvação do país de uma suposta “impossibilidade de existir por si próprio” ou de “resolver seus próprios problemas”. Esses discursos, que povoam relatórios internacionais de todos os gêneros, além de inspirar receituários para a superação da suposta inviabilidade do país, em geral, e da precariedade de sua Universidade Pública, em particular, colocam-se em relação direta com os discursos coloniais de onde emergem hierarquias étnico-raciais, dando a ver a perplexidade e confusão causadas pela existência de ensino superior em um país ligado à miséria e à privação.